sábado, 8 de setembro de 2012

Recomeçar...






Hoje nosso blog completa dois anos. 
Gostaria de agradecer a todas as pessoas que contribuíram para o seu crescimento... Aos que conheço, aos que não conheço, aos amigos virtuais... enfim, um beijo para todos que carinhosamente curtem o Certeza Espírita.
E para brindar o novo ciclo que hoje se inicia, transcrevo abaixo um poema que gosto muito.
Muita Luz!  Beijão! ♥♥  iany


Recomeçar

Não importa onde voce parou... em que momento da vida voce se cansou... o que importa é que sempre é possível e necessário recomeçar.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...
É renovar as esperanças na vida e, o mais importante: acreditar em voce novamente.
Sofreu muito nesse período? Foi aprendizado...
Chorou muito? Foi limpeza da alma...
Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só por diversas vezes? É porque fechou a porta para os anjos...
Está se sentindo sozinho? Talvez voce tenha afastado as pessoas no seu "período de isolamento"...
Acreditou que tudo estava perdido? Era início da sua melhora...
Pois bem, agora é hora de reiniciar, de pensar na luz... de encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Tem tanta gente esperando apenas um sorriso seu para se aproximar.
Que tal dar um jeito no visual, fazer um novo curso ou realizar aquele velho desejo de aprender a pintar, desenhar, dominar o computador, ou qualquer outra coisa?
Observe quantos desafios a vida está a lhe oferecer!
Quanta coisa nova está esperando para ser descoberta!
Quando nos trancamos na tristeza, nem nós mesmos nos suportamos, ficamos horríveis.
O mau humor vai minando nosso fígado, até a boca ficar amarga.
Se voce está se sentindo assim, com a sensação de derrota, é hora de recomeçar...
E hoje é um bom dia para enfrentar novos desafios.
Defina aonde voce quer chegar e dê o primeiro passo.
Comece por fazer uma faxina mental, jogando fora todos esses pensamentos e sentimentos pessimistas que se acumularam ao longo do tempo.
Atire para longe os ressentimentos, as mágoas, os melindres que impedem a felicidade de entrar.
Desfaça-se desse sentimento de inferioridade, de incapacidade, e valorize-se. Voce é o que fizer de voce.
Em seguida, faça uma faxina no seu quarto. Jogue fora todo aquele lixo que voce acumula há tempos, só como recordação do passado.
Papéis velhos dos quais voce nunca precisou. Discos e fitas que voce não irá mais ouvir, ingressos de cinema, bilhetes de viagens, e tudo aquilo que só traz recordações tristes.
Abra seu guarda-roupa e retire tudo o que não usa mais. Doe para alguém que precisa. Doe os calçados que apertem seus pés ou que não servem porque seu número não é mais o mesmo.
Para recomeçar é preciso abrir espaços mentais e físicos...
Depois que tomar essas providências, leia um bom livro, assista um bom filme, para alimentar  sua mente com idéias positivas e otimistas.
Aproxime-se dos amigos, dos familiares, das pessoas alegres que ajudarão voce a sustentar o bom ânimo e a coragem.
Evite, enquanto se restabelece, a presença de pessoas pessimistas e desanimadas. Só as busque quando estiver forte o bastante e puder ajudá-las.
Busque um lugar calmo e eleve a Deus uma prece.
Mas comece agradecendo pela vida, pelas oportunidades renovadas, pelos obstáculos e desafios que surgem no caminho. Eles nos fazem forte quando os superamos.
Lembre-se: o dia de hoje é uma página em branco que o Criador lhe oferece para que escreva um novo capítulo da sua história.
Recomeçar é só uma questão de querer. Se voce quer, Deus quer. É por isso que Ele acena sempre com essa nova chance chamada presente.
Pense nisso e não perca mais um minuto!

Fonte: Livro "Decidi ser Feliz - Mensagens para um dia melhor" de Paulo Roberto Gaefke


sexta-feira, 31 de agosto de 2012

As Crianças da Nova Era


Não podemos negar que as crianças de hoje, estão muito diferentes. Esses espíritos que estão nascendo entre nós são muito mais inteligentes, fraternais e com grande poder de dedução e lógica. 
Quem de nós, hoje, não conhece uma criança que já disse ou fez coisas muito avançadas para sua idade? Quem já não observou alguma criança, de 3 ou 4 anos de idade, falando como "gente grande"?
No livro cientifico "Crianças Índigo", lançado em 1999, pelos pesquisadores norte-americanos Lee Carrol e Jan Tober, é revelado que, de algumas décadas para cá, psicólogos, psicoterapeutas e pedagogos vêm descobrindo que grande parte das crianças apresentam características das crianças Indigo, isto é, crianças dotadas de grande intelecto. Segundo os autores do livro, a denominação Índigo se deve ao fato de terem estas crianças auras azuladas, fato este observado por colaboradores dotados de vidência.
De acordo com os pesquisadores, os Índigo, apesar do elevado QI e QE, podem também apresentar problemas de comportamento como hiperatividade ou distúrbios de deficit de atenção, o que suscita problemas de relacionamento tanto em casa como na escola, pois são crianças e jovens questionadores, que percebem as verdadeiras intenções e fraquezas dos adultos e os enfrentam de igual para igual. 
Diz ainda o livro, que eles se portam com nobreza e não têm problemas de auto-estima, mas têm dificuldades de desempenhar algumas tarefas (como esperar na fila, por exemplo), não gostam de rotinas ou rituais repetitivos, se dão melhor com seus "iguais" e não tem vergonha de expor suas necessidades e ou desejos. 
Já, a tese das Crianças Cristal, surgida algum tempo depois no meio espírita, sugere que são crianças mais evoluídas moralmente do que as Indigo, e que estariam reencarnando na Terra para implantar as bases, ético-moral, do mundo de regeneração.
Divaldo Pereira Franco, em seu livro  "Nova Geração - A visão Espírita Sobre as Crianças Índigo e Cristal", e em palestra que circula na Internet (http://www.youtube.com/watch?v=cJzPVjF_ZgU), refere-se a tais crianças como uma nova geração de seres mais evoluídos do que a média terrena e que estariam reencarnando na Terra afim de impulsionar o desenvolvimento do planeta. Diz, ainda, que as Crianças Índigo foram classificadas pelos psicólogos em 4 grupos distintos: humanistas, artistas, conceituais e interdimensionais. 
A este último grupo, os interdimensionais, Divaldo chama de "médiuns do amanhã", denominação que ele também dá às crianças Cristal, afirmando que algumas Cristal já estão encarnadas na Terra e são conhecidas por Crianças Estrela, por  terem olhos vivos, grandes e brilhantes, e por se dedicarem à computação e a atividade virtual. Ainda sobre as crianças Cristal, o médium e palestrante afirma que elas começam a reencarnar para valer, no planeta, realmente a partir de 2012, que são os seres do futuro e responsáveis efetivamente por uma mudança maior na Terra e faz uma curiosa revelação ao dizer que segundo psicólogos, tais espíritos têm dificuldades para iniciar a fala, na atual reencarnação (o que ocorre, de fato, somente aos 2 anos de idade), pois não estão acostumados com a comunicação verbal. 
Assim, há algum tempo já sabemos por Kardec (capítulo final do livro A Gênese), que uma nova geração viria cooperar para o progresso moral da Terra. Também, as autoras espirituais Joanna de Ângelis e Ermance Dufaux, já citaram esse fato (livros "Momentos de Harmonia" e " Reforma Íntima Sem Martírio", respectivamente). 
Sabemos também que o nosso mundo progride e que espíritos reencarnam para impulsionar esse progresso, assim como aconteceu com os "capelinos" numa determinada fase do povoamento do Planeta Terra. Porém, cabe a nós ter bom senso e, diante de nossas crianças, sejam elas Índigo-Cristal-Estrela, ou não, evitarmos o orgulho e a vaidade de considerá-las "seres especiais", amparando-as, orientando-as e amando-as incondicionalmente.  Beijão! ♥♥

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Um Novo Olhar Para a Obsessão



Em se tratando de obsessão espiritual, temos a tendência de tratarmos o desencarnado como vilão: um perseguidor invisível, talvez de vidas passadas, um agente cármico que surgiu ,de repente, do passado, para nos assombrar. Então, assumimos a postura de vítimas e tendemos a justificar todos os nossos problemas com obsessão. Assim, não é raro, culparmos o obsessor por nossas enfermidades, por nossas dificuldades financeiras ou por nossos problemas afetivos. 
No entanto, lançando um olhar mais apurado, percebemos que, na maioria das vezes, a obsessão não é a "ação de um espírito mau sobre os nossos atos", mas apenas um reflexo daquilo que carregamos na nossa intimidade, ou seja, conforme nosso estado vibracional, atraímos para junto de nós espíritos inferiores que ficam conosco, simplesmente porque se sentem bem ao nosso lado. 
Estes espíritos junto da gente agindo como assediadores, não são melhores nem piores que nós... Eles também têm sentimentos e emoções, inclusive, estão tão desorientados quanto nós, quando permitimos, com a nossa invigilância, que eles se aproximem... Por isso há sintonia e atração.
Porém, o que parece uma simples convivência pode se tornar um relacionamento perigoso, pois o desencarnado está comungando pensamentos, sugerindo ideias e sugando energias.
Allan Kardec afirmou que, pelas imperfeições morais, atraímos obsessores e pela prática do bem, espíritos bons.
É por isso que ás vezes temos a impressão de que o trabalho de desobsessão não surtiu efeito, porque os benfeitores afastam o suposto obsessor do encarnado, mas por estarem na mesma frequência mental, este último atraí novamente o obsessor para si.    
Obsessão é SINTOMA de que tem alguma coisa errada conosco, de que precisamos mudar nossos pensamentos ou modificar condutas e comportamentos. Explicar nossas dores como decorrência da obsessão é fuga e a única maneira de nos libertarmos do assédio de espíritos inferiores é promovendo o autoconhecimento através da reforma interior.  Beijão! ♥♥


quarta-feira, 4 de julho de 2012

Programação Reencarnatória




A reencarnação é a oportunidade de crescimento espiritual, de vencer vícios, defeitos e tendências negativas, de aperfeiçoar nossa capacidade de auxiliar com amor, de reforçar antigas qualidades e adquirir novas virtudes.
Todo o espírito que recebe a graça de renascer, reencarna dentro de um plano de trabalho,  efetuado com base na sua memória de ações realizadas no passado, conhecido como programação reencarnatória. Espíritos mais lúcidos participam da elaboração de sua própria reencarnação, juntamente com seu mentor espiritual. Espíritos menos esclarecidos, no entanto, têm seu arranjo reencarnatório feito por espíritos mais adiantados. E espíritos em estado de perturbação, com perda temporária da capacidade de eleger o caminho do reajuste, têm seu planejamento realizado automaticamente por espíritos superiores, sem prévia concordância e até sem seu conhecimento.
Através do processo reencarnatório, é possível ao espírito reencarnante, conhecer de antemão, a genética do futuro corpo físico; em que família nascerá; qual será o meio sócio-econômico-cultural dominante; sua tendência profissional; sua programação afetiva e prováveis cônjuges e filhos. 
Fica também estabelecido, que algumas doenças ou dificuldades específicas, podem ocorrer no decorrer da encarnação, como aprendizado, como despertamento para a vida espiritual ou como cura do espírito.
Mas, evidentemente, nem toda doença corresponde a um processo estabelecido no planejamento reencarnatório. Uma pessoa que bebe muito e provoca uma moléstia em seu fígado, ou que fuma muito e desencadeia uma enfermidade em seus pulmões, e por isso desencarna, fez mau uso de seu livre arbítrio o que o levou ao infortúnio.
Desse modo, podemos entender que ninguém nasce predestinado a ser dependente químico ou assassino, mas, quando colocado à prova, pode ceder à sua má inclinação ou resistir: é uma questão de opção.
O passado espiritual do reencarnante tem influência vital em seu planejamento. Assim, alguns relacionamentos de sua vida são ligações com desafetos e esse reencontro se dá para que se desfaçam os laços de ódio e inimizade. Também as provas a que está submetido decorrem de compromissos pregressos e são conhecidas como dívidas e/ou resgates.
Mas, uma vez já encarnado, o espírito pode, através de seu livre arbítrio, modificar toda a sua programação, podendo ele adquirir novos compromissos, ampliando suas dívidas, ou diminuir  débitos, através de merecimento por ter realizado com êxito os objetivos preestabelecidos.
No livro "Quem Perdoa Liberta", do autor espiritual José Mário, psicografado por Wanderley Oliveira, Dona Maria Modesto Cravo, nos dá um exemplo ao revelar que no Departamento de Planejamento do Hospital Esperança, onde se desenrola a trama do livro, 70% das pessoas cumprem apenas 20% do que planejaram em sua programação reencarnatória; 23% conseguem atingir apenas 50% do que precisam; 5% não cumprem nada, quer dizer, se desviam completamente do que planejaram para sua reencarnação e apenas 2% completam totalmente a sua programação, ou seja, aproveitam bem todos os minutos de sua vida.
Esses últimos são chamados de completistas por André Luiz no livro "Missionários da Luz", psicografado por Chico Xavier.
Evidente que a maioria de nós não chegará à condição de completista, pelo menos nessa encarnação. Mas, conhecedores que somos de que existe uma programação, podemos, a partir de agora, procurar refletir antes das decisões, procurando nada fazer sob impulso ou forte emoção. E, na hora das aflições, possamos lembrar que fomos nós que rogamos aos nossos benfeitores a oportunidade de crescimento e redenção pessoal através da dor. 
Beijão! ♥♥


segunda-feira, 30 de abril de 2012

Cordões Energéticos - Ligações Perigosas...


Cordões energéticos são laços que criamos quando nos ligamos afetivamente com outras pessoas. Isto quer dizer que nossos relacionamentos familiares, amorosos, profissionais e de amizade, são entrelaçados por estes fios. Os cordões existem também entre conhecidos, vizinhos e até mesmo com pessoas que permaneceram por pouco tempo em nossas vidas.  
Se o laço afetivo que nos prende a outra pessoa for de amor e respeito, os fios de ligação são saudáveis. Porém, quando as relações afetivas são marcadas por atitudes de desrespeito, os cordões energéticos que ligam as criaturas são tóxicos e prejudiciais.
Quando a convivência com o outro passa a ser doentia, apresentando atitudes de dependência, superproteção, disputa, vingança, apego e possessividade, entre outras, as chances da relação adoecer, nos trazendo enfermidades energéticas e, posteriormente, somatizações, são enormes.
Um exemplo frequente disso é quando um casal se separa e encontra dificuldades em se desligar um do outro. As desculpas para ainda existir tal "união" são os filhos ou as pendências financeiras, por exemplo. Mas a verdade é  que um não consegue libertar o outro de si. 
Também é possível manter cordões energéticos com objetos e lugares. Esse tipo de apego gera situações repetitivas de estresse, doenças e desequilíbrios. Como por exemplo,  alguém que tenha morado vários anos fora de seu país de origem, e quando retorna não consegue engrenar sua vida profissional, o que o leva constantemente a mudar de emprego, na busca incessante de "algo" que o prendia lá fora.
Dona Maria Modesto Cravo, no livro "Quem Perdoa Liberta" psicografado por Wanderley Oliveira, afirma que as pessoas, por meio dos cordões, ficam aprisionadas umas às outras e, pelos sentimentos, os cordões ganham vida, natureza, cor, cheiro, som, movimento e consistência. As ligações energéticas são mantidas "chacra-a-chacra", de acordo com o sentimento que envolve as criaturas. Por exemplo, se o sentimento é de mágoa, envolve o chacra cardíaco; se ódio, reflete no chacra gástrico; ciúme e possessividade, o genésico. Dessa forma, pessoas magoadas podem desenvolver diabetes e inúmeras dermatites; já aqueles que sustentam o ódio por alguém que o feriu ou é odiado por quem tenha ferido, podem gerar processos degenerativos, incluindo os carcinomas. 
Dona Modesto, vai ainda mais longe, quando assevera que alguns transtornos físicos, emocional e mental da era moderna, como a depressão, por exemplo, podem ter origem nos cordões energéticos, e sem influência alguma de espíritos desencarnados, ou seja, a obsessão ocorre, neste caso, de encarnado para encarnado.
Conscientes que estamos deste assunto, é hora de assumir nossa responsabilidade nos conflitos relacionais, perdoar e se perdoar, procurando estabelecer em nossas relações um clima de tolerância, fraternidade e amor. Beijão! ♥♥ 
  

terça-feira, 20 de março de 2012

Somatização... quando as emoções atingem o físico

 


O alerta abaixo está colocado na porta de entrada de um espaço terapêutico:


"O resfriado escorre quando o corpo não chora. 
dor de garganta dói quando não é possível comunicar as aflições. 
estômago arde quando as raivas não conseguem sair. 
diabetes invade quando a solidão amarga. 
corpo engorda quando a insatisfação aperta. 
dor de cabeça deprime quando as dúvidas aumentam. 
coração desiste quando o sentido da vida parece terminar. 
alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável. 
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas. 
peito aperta quando o orgulho escraviza
coração enfarta quando chega a ingratidão. 
pressão sobe quando o medo aprisiona. 
As neuroses paralisam quando a "criança interna" tiraniza. 
febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade."

___________________________________________________________


Uma doença que nos acomete tem sempre a somatização de um pensamento ou de uma emoção negativa. Isto significa, que as doenças não surgem da noite para o dia em nossas vidas. Num primeiro estágio, acumulamos energias negativas por semanas, meses e anos. Essas energias são geradas por tensões que não conseguimos extravasar ou externalizar de maneira adequada, é como se transferíssemos para o organismo toda a carga emocional decorrente de algum problema que estamos vivendo.
Assim, nosso corpo vive, reage, registra e revela todo nosso conteúdo mental e emocional, e o resultado, muitas vezes, é o surgimento de uma doença ou um agravamento de uma doença já existente, ou seja, conflitos que não são resolvidos pela  razão e pelo bom senso são transferidos para o corpo.
Segundo a psicóloga americana Louise Hay, somos responsáveis por nosso corpo e por tudo que nele ocorre. Nossos pensamentos, principalmente os mais negativos, como tristeza, raiva. medo, ódio, ciúme, desamor, rejeição e vingança, dentre outros, podem desencadear doenças nos nossos órgãos mais sensíveis. 
A medicina tradicional associada ao acompanhamento psicológico é o primeiro passo para aquele que já impregnou seu organismo com energias deletérias. O segundo passo é a prevenção, e essa, só será alcançada com o equilíbrio emocional e a reforma interior.  Beijão! ♥♥ 

Clique e veja uma lista com algumas doenças e os sentimentos que as desencadeiam. 

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

A Força do Pensamento


Segundo Jung, um dos precursores da psicologia, nossos pensamentos são atraídos pela lei da associação, ou seja, uma lei da natureza onde tudo que se assemelha se atrai e permanece junto. 
Então, os pensamentos emanados, por todos os seres pensantes do planeta, tanto pelos encarnados como pelos desencarnados, vão se associando de acordo com sua vibração ou seu teor, e vão formando verdadeiras "nuvens" de luz ou de escuridão, que viajam pelo éter cósmico.
Essas nuvens  de energias são conhecidas por egrégoras e podem ser tanto negativas, quanto positivas. Assim, quando temos um pensamento de raiva, por exemplo, esse pensamento se conecta a milhares de outros pensamentos negativos, formando nuvens escuras que geram dor e angústia. Da mesma forma, pensamentos de paz, de fraternidade e de solidariedade, entre outros, se unem a egrégoras de esperança e amor que beneficiam toda a humanidade. Mesmo os pensamentos soltos e mal dirigidos, vão, inevitavelmente se ligar a nuvens de pensamentos densos e incertos, cujas consequências podem ser de instabilidades e desequilíbrios.
Só para termos uma ideia do volume dessas nuvens, os pesquisadores descobriram que uma única pessoa possui em média 70 MIL pensamentos por dia. Ora, se somos atualmente no planeta 7 BILHÕES de habitantes, calculem então quantos pensamentos produzimos juntos em apenas 24 horas... isso, fora os desencarnados.
Portanto, se levarmos em consideração o período de conturbação em que se encontra o nosso planeta, podemos chegar a triste conclusão de que a maioria destes pensamentos são negativos, e o pior: a nossa contribuição para essa convulsão planetária é muito grande.
A boa notícia, é que ainda há tempo de melhorar, basta mudar o padrão dos nossos pensamentos, eliminar a ociosidade, mudar nossas atitudes e evitar a negatividade.
O espírito Inácio Ferreira, em mensagem de 20/04/2010, ditada através do médium Carlos A. Bacelli (http://inacioferreira-baccelli.zip.net), recomenda que façamos uma campanha de boas palavras e bons pensamentos em favor da Terra.
Fica aqui então o convite para levarmos essa campanha adiante, pois se cada um fizer a sua parte renovando atitudes e sentimentos conseguiremos reverter o processo destrutivo.  Beijão! ♥♥ 


segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Aparências


Por que nas relações humanas é tão mais fácil encontrar o orgulho e a vaidade do que a humildade?
O orgulhoso tem o amor próprio muito acentuado, sente-se o centro de tudo e quer fazer prevalecer suas próprias ideias, não aceita críticas e menospreza o próximo.  
O vaidoso precisa manter uma imagem, precisa ser o melhor, estar a par de tudo e receber aplausos. 
O humilde por sua vez, age sempre com serenidade, é simples de coração, aceita e respeita seus semelhantes e valoriza todas as oportunidades de fazer o bem a a caridade. Os humildes se importam com o sofrimento alheio porque usam de indulgência e misericórdia. 
Infelizmente, a sociedade confunde humildade com inferioridade, fraqueza e até pobreza, quando na verdade a humildade está relacionada com simplicidade, sensibilidade, gentileza e respeito.
Jesus é o nosso grande exemplo de humildade, pois apesar de sua condição de espírito puro,  encarnou na Terra e viveu como um homem simples. Nascer na manjedoura foi a primeira lição de humildade que deu aos homens; trabalhar na carpintaria com José exorta-nos ao trabalho honesto para dignificação do espírito; escolher doze companheiros entre homens simples para a divulgação do Evangelho, é uma prova de modéstia, amor e sabedoria; morrer na cruz entre ladrões, demonstra renúncia e resignação.
Que nesses dias que antecedem o Natal, possamos refletir no verdadeiro significado desta data em nossas vidas e, em tempo, deixar a ostentação, a fartura  e as aparências de lado e celebrar a humildade e a simplicidade, ensinando a nossos filhos que o importante é o que somos e não o que temos. Beijão! ♥♥ 

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Sabotador Interno


O Ano Novo está chegando e com ele as velhas promessas que fazemos ano após ano - parar de fumar, continuar a regime, voltar a estudar... E por que será que algumas dessas promessas nunca se cumprem? 
Mas não é só isso, durante o ano também não conseguimos terminar as coisas que começamos - pois tem sempre uma prioridade a frente; nunca planejamos nada e quando planejamos não realizamos - pois tem sempre uma ideia nova que muda tudo; não mantemos compromissos assumidos - pois estamos sempre atarefados com alguma outra coisa mais urgente, enfim, vivemos sempre no quase - quase me casei, quase me formei, quase tive filhos, quase isso, quase aquilo, e fica sempre a ilusão de que chegamos muito perto. 
Se usarmos de honestidade e olharmos para trás, veremos, num passado não muito distante, alguns cursos sem conclusão, projetos inacabados e objetivos incompletos... São coisas as vezes muito simples - retomar as aulas de dança ou frequentar uma academia, por exemplo, começadas por impulso e deixadas para trás na primeira dificuldade. 
Mas por que ficamos "andando em círculos" ou "dando voltas" ao redor dos nossos desejos sem nunca atingi-los? 
Porque temos um sabotador interno que nos impede de fazer coisas agradáveis. A autossabotagem é uma atitude inconsciente, produto de um sentimento de culpa, provavelmente nascido na  infância, através das mensagens transmitidas pelos adultos quando ainda eramos pequenos, ou seja, acreditávamos que não merecíamos ser amados, valorizados ou reconhecidos. 
Agora, como adultos, parte de nós, ainda tem a certeza que não merecemos coisas boas e acaba por sabotar tudo de bom que tentamos construir - como o sucesso na empresa, um bom relacionamento com o marido e filhos ou projetos pessoais.
O problema é que, como esse é um processo inconsciente, passamos a acreditar que a nossa insatisfação é causada por fatores externos - só seremos felizes no relacionamento se o parceiro mudar; só seremos promovidos no emprego se vier um novo chefe... Mas na verdade, quem precisa de mudanças somos nós, e a repetição desses pensamentos e comportamentos nos impede de atingir o que queremos.
E assim, vamos nos auto-iludindo com soluções irreais ou mágicas - dieta alimentar sem mudar o cardápio, perder a barriga sem fazer exercício físico, enfim, criando mecanismos de fuga para mascarar a realidade.  
Saiba que a preguiça, o orgulho, a covardia e o pessimismo são as bases da autossabotagem. Portanto, não existe outro caminho para barrarmos o sabotador interno a não ser pelo auto-conhecimento e pela reforma interior. 
Lembre-se que: errar é humano, persistir no erro é autossabotagem. 
Beijão! ♥♥ 
Fonte:O ciclo da auto-sabotagem de Stanley Rosner e Patricia Hermes 

sábado, 29 de outubro de 2011

Perdoar e Crescer


Diz uma lenda árabe que dois amigos  viajavam pelo deserto e em um determinado ponto da viagem, discutiram e um deu uma bofetada no outro. O outro, ofendido, sem nada poder fazer, escreveu na areia:
- “Hoje, o meu melhor amigo deu-me uma bofetada no rosto”.
Seguiram adiante e chegaram a um oásis onde resolveram tomar banho. O que havia sido esbofeteado e magoado começou a afogar-se, sendo salvo pelo amigo. Ao recuperar-se, pegou um canivete e escreveu numa pedra:
- “Hoje, meu melhor amigo salvou minha vida”.
O outro amigo perguntou:
- Por que, depois que te magoei, escreveu na areia e agora, escreves na pedra?
Sorrindo, o outro amigo respondeu:
- Quando um grande amigo nos ofende, devemos escrever onde o vento do esquecimento e o perdão se encarreguem de apagar a lembrança. Por outro lado quando nos acontece algo grandioso, devemos gravar isso na pedra da memória do coração onde vento nenhum em todo o mundo poderá apagá-lo”.
(Autor Desconhecido)


Nosso personagem demonstrou uma capacidade plena de exercer o perdão (inteligência espiritual). Coisa rara nos dias de hoje, onde podemos verificar situação inversa, pessoas cultivando o sentimento de mágoa por tempo prolongado, chegando por vezes a afetar o campo físico com tumores malignos e doenças incuráveis. 
Perdoar as ofensas não significa esquecer, mesmo porque, temos uma memória que faz o registro de tudo e então é super normal rememorarmos os acontecimentos de vez em quando. Quando se fala em perdão, sugere-se não alimentar os sentimentos de ódio, mágoa e raiva, é deixar passar,  "escrever na areia" como fez o nosso amigo. 
Por isso a recomendação incisiva de Jesus ao sugerir o perdão em qualquer tempo, tantas vezes quantas forem necessárias e de forma incondicional. O querido Mestre só queria evitar a manutenção do ressentimento e suas terríveis consequências.  Beijão! ♥♥